A LOUCA


Vamos lá, começar do começo é sempre bom, né?


Nasci em Juiz de Fora, vulga Jizdifora ou JF, no dia 30 de março de 1984.

Acho meu aniversário lindo. Junto comigo nasceu um monte de gente boa: a Norah Jones, o Eric Clapton, o Goya e o que me mata de orgulho, Van Gogh. Bão dimais da conta, sô. Entrei no mundo com o pé direito.

 Filha de um psicólogo  com uma filósofa. Dessa mistura não podia sair nada muito normal. Sou a segunda de cinco irmãos que tem um mesmo pai, mas três mães diferentes. 

                               


Meu pai queria que eu me chamasse Izabela, mas já tinha muita Izabel na família (mãe, irmã, bisa e tia) e daí mi madre escolheu: MAÍRA, nome indígena com várias origens e significados, dentre os quais "Deusa do Sol" e Inteligência. Modestamente, acho que super-combina comigo. rs

Tenho a impressão que fui uma criança meio estranha. Aos 10 pedi um disco do Tom Jobim de Natal pro meu pai. Sempre sobrava na educação física, mas me mal-acostumei a ser a melhor aluna da turma.

Toquei violino por oito anos, dos 4 aos 12. Aos 13 dei o grito de independência e nunca mais encostei num até cerca de um ano atrás quando retomei. Estou amando. 

Desde pequenina, por herança familiar, tive tendências à esquerda e a defender os fracos e oprimidos. Meu orientador diz que devia ser sindicalista. rs Choro junto com o Lula quando ele conta as histórias de pobreza ou dos sem-teto visitando o Palácio do Planalto.  Me orgulho muito do último presidente ter sido do proletariado. Acho tão bonito que pra mim só isso já teria valido o governo. Pelo simbolismo que teve.

Não faço trabalho voluntário,mas tenho muita vontade de frequentar asilos. Morro de saudade do meu vô Izauro. Fico arrumando uns avôs adotivos por aí. rs

Além de velhinhos, amo cachorros! Uma de minhas maiores paixões é a labradora chocolate que está em minha casa em Minas: Morena, a mais bonita, inteligente, amorosa e esperta de todas cadelas no mundo! rs 


Como boa mineira adoro contar causos, sou bairrista e adoro ir a praia, apesar de ter medo do mar! Prefiro de longe cachaça à cerveja e não dispenso uma boa 
feijoada. E muito menos feijão tropeiro, tutu, frango com quiabo e torresmo.

Pra mim o melhor país do mundo é o Brasil, mas o melhor lugar do Universo é Minas. Como diz um dos meus muitos conterrâneos famosos, meu amigo Drummond: "Minas é um estado de espírito'.




Gostei muito menos da Europa do que eu esperava. E descobri que no CAOS mora a vida. 

Fiz bio pq sempre quis ser cientista. Vim pra USP pq queria a melhor Universidade. Moro em sampa há exatos 4 anos e neste tempo trabalhei no mestrado e agora no doc com as células produtoras de insulina e estresse oxidativo.

Se num tivesse feito bio teria feito letras, pq pra mim a literatura deixa o mundo mais bonito. Com meu pé na fflch fiz uma especialização na Unicamp em jornalismo científico. 

Acabei de chegar do EUA, onde morei por nove meses para fazer doutorado sanduíche. Foi ruim, mas bom também. Como tudo na vida.

Ligo pra  minha mãe todo dia, mas é com meu pai que eu choro ao no telefone.

 Sou viciada em forró, cinema e internet. 

Adoro caipirinha de maracujá, salmão e espinafre. A revista piauí, house, los hermanos e bossa nova. 


O povo do meu lab tá dizendo que ando mais doida do q de costume.
E ando mesmo "louca no maiô" rs. Mas é que a palavra de ordem é intensidade.


E o lema do momento é "Não tenho tempo pra mais nada. Ser feliz me consome" Adélia Prado.  Tá faltando tempo 
até pra trabalhar. kkkkkkk 

Agora chega! rs Falei demais, pra variar... rs oO


Ah, e só mais uma coisinha: 
"... Aprendi que tudo passa, tomando chá ou cachaça..." 
Itamar Assunção