1 de out de 2011

Ressignificando

Ou como voltar a ser centro da própria vida?

Dedicado à minha querida amiga, FVA, que assim como eu adora fazer das tripas ♥.


"Iaiá, se eu peco é na vontade


de ter uma amor de verdade."
                                                                     Camelo e Amarante


Bom, o texto anterior é antigo, tem mais de um ano e foi escrito após o fim do meu último namoro. Eu gosto bastante dele, pois foi uma catarse e acho que  serve como um bom prólogo pra este.

Eu não nego que adoro me apaixonar. Adoro a sensação, pra mim é a melhor coisa do mundo. Funciona quase como uma droga e admito: sou adicta. Porém, como tudo na vida tem uma contrapartida, na mesma medida vem a dor do desapego. É um parto. Tenho tentado arrumar alternativas pra lidar melhor com o luto. Antes era só falar e falar e falar. Bom, agora é falar, falar e escrever. Escrevo pra "digerir" melhor. E também pra não me esquecer de algumas verdades, as quais ficamos cegos, por mais que sejam claras e evidentes. Por que todo mundo sabe que o amor é cego e, na maioria das vezes, burro também.  Então, venho aqui nesta madrugada para desentalar e também pra não me deixar esquecer o que meu pai me disse uma vez: "Filha, pode ser lindo, maravilhoso. Mas, se não é legal com você, não vale à pena e fim". Parece simples, né? Dois mais dois igual quatro. Mas como é difícil aceitar. Leva tempo, às vezes. Sinto que meu tempo tem se encurtado. Acho que é sinal de aprendizagem, afinal em cada experiência a gente acaba amadurecendo um pouco mais. Assim, não digo que não valeu à pena mas, tem hora que é preciso dar um basta. Então bora praticar:

1 - Relativize: Lembre-se que este não é o único cara no mundo. Felizmente ele não foi o primeiro e não será o último. Lembra o fulaninho por quem você era louca há três anos atrás? Pois então, nem o sobrenome do maldito você lembra, né? Exatamente, gata. Tudo na vida passa, tomando chá ou cachaça. Sua vida era ótima antes dele, permaneceu ótima depois de outros, porque há de ser diferente agora?

2 - Compare: Faça um exercício. Ao invés de se prender ao lado positivo, que é o que fazemos quando estamos apaixonados, vamos lembrar que todos somos Yin e Yang. Nem tudo são flores, meu bem. Há também um lado negro. Pare e pense: com certeza ele andou vacilando feio com você. Além disso, eu aposto que ele deve ser imaturo, é pão duro, tem amigos inconvenientes (sem mencionar aquela AMIGA inconveniente), bebe demais, tem uma vida sem pé nem cabeça, uma mãe ciumenta ou simplesmente não é tão alto quanto você gostaria. Eu sei que é difícil. Mas uma dica é tentar enxergar com o olhar daquela sua amiga que você adora, mas que tem uma língua ferina e não poupa ninguém! 

3 - Conclua: Por fim, tudo aponta para o mesmo resultado. E se ele mesmo te disse que não pode corresponder as suas expectativas, que você é muito boa pra ele ou que o problema é dele e não seu, acredite, é VERDADE. Assim, deixe as coisas fluírem, deseje tudo de bom do fundo do seu coração para este ser, mas trate de redirecionar seu investimento afetivo. Não esqueça de que o amor está em você, não nele! Então, use-o da melhor maneira possível: beije seus ombros, cuide de si mesma e não titubeie em oferecer-lho a quem o faça por merecer!

O melhor disso tudo é que mesmo não sendo fácil inicialmente (já que crescer dói), o amadurecimento chega aos poucos e você pode perceber quão maravilhoso é voltar para o centro da própria vida.

2 comentários:

  1. Cheguei ao teu blog por uma publicação da Fabricia no face do meu amigo Charles... O mundo virtual é tudo, né?!

    Enfim, me identifiquei muito com sua postagem. E o que posso te dizer é clichê, mas é verdade: Nada como uma dia após o outro!
    Estou cansada de dar nome e rosto para as minhas idealizações, to cansada de dizer para meu coraçãozinho inquieto que quem sabe dessa vez vai. E mais uma vez ver que não foi. E mais uma vez demolir fantasias.
    E acredita que quando o tempo passa eu estou pronta pra outra?! Sempre existe uma eterna vontade de me apaixonar... Espírito romântico, fazer o quê, né?!

    ResponderExcluir
  2. Oi gabi! Obrigada =)
    E bom saber que nao sou a unica ;)
    Vou dar uma olhada no seu blog tb, parece bem legal!

    ResponderExcluir